Displasia do Quadril

Sabe o que é Displasia do Quadril?

divider pequeno

Em um quadril normal, a bola na extremidade superior do fêmur se encaixa firmemente no encaixe, que é uma porção curvada da pelve chamada de acetábulo. Em um jovem com displasia do quadril, a articulação do quadril não se desenvolveu normalmente. Essa anormalidade pode causar um quadril doloroso e o desenvolvimento precoce da osteoartrite, condição na qual a cartilagem articular na articulação se desgasta e um osso se esfrega contra outro.Displasia do Quadril

 

A displasia do quadril em crianças, jovens e adolescentes é geralmente o resultado final da displasia do desenvolvimento do quadril, uma condição que ocorre no nascimento. Embora sempre verifiquem isso nos bebês, alguns casos permanecem não detectados ou são leves o suficiente para que não sejam tratados. Estes pacientes podem não apresentar sintomas de displasia do quadril até atingir a adolescência.

 

O tratamento para a displasia do quadril concentra-se no alívio da dor, preservando a articulação do quadril natural do paciente o maior tempo possível. Em muitos casos, isso é conseguido através de uma cirurgia para restaurar a anatomia normal da articulação e atrasar ou prevenir o aparecimento da osteoartrite dolorosa.

 

Em pacientes com displasia do quadril, o acetábulo é superficial, o que significa que a bola, ou cabeça femoral, não pode encaixar firmemente no encaixe.

 

Como resultado desta anormalidade, a forma como a força é normalmente transmitida entre as superfícies ósseas é alterada. O labrum pode acabar suportando as forças que normalmente devem ser distribuídas uniformemente por toda a articulação do quadril. Além disso, mais força é colocada em uma superfície menor da cartilagem e do quadril. Ao longo do tempo, a cartilagem articular lisa fica desgastada e desaparece e o labrum acaba sendo lesionado ou danificado. Essas alterações degenerativas podem avançar para a osteoartrite precoce.

 

A magnitude e gravidade da displasia do quadril podem variar de paciente para paciente. Em casos leves, a cabeça do fêmur pode simplesmente estar solta no encaixe. Em casos mais graves, pode haver instabilidade completa na cabeça articular femoral.

Causas e Sintomas da Displasia do Quadril

divider pequeno

A displasia do quadril geralmente resulta da displasia do desenvolvimento do quadril que não é descoberta ou não tratada durante a infância.

 

Displasia do QuadrilPode estar presente no quadril, em qualquer indivíduo. Geralmente afeta o quadril esquerdo e ocorre mais frequentemente em:

 

  • Meninas;
  • Crianças primogênitas;
  • Bebês recém-nascidos;

 

A displasia do quadril, em si, não é uma condição dolorosa. No entanto, a dor vem quando as forças alteradas no quadril causam alterações degenerativas na cartilagem articular e no labrum. Na maioria dos casos, essa dor é:

 

  • Localizada na região da virilha, embora às vezes possa ser mais para o exterior do quadril;
  • Ocasional e leve inicialmente, mas podem aumentar em frequência e intensidade ao longo do tempo;
  • Piora com atividade física ou perto do final do dia.
Precisa da cirurgia de Displasia do Quadril? Temos ortopedistas prontos para te atender.

Tratamento para Displasia do Quadril

divider pequeno

O tratamento para a displasia do quadril concentra-se em atrasar ou prevenir o aparecimento da osteoartrite, preservando a articulação do quadril natural durante o maior tempo possível.

 

Tratamento não cirúrgico

O seu médico pode recomendar o tratamento não cirúrgico se o paciente tiver uma displasia do quadril leve. O tratamento não cirúrgico também pode ser tentado inicialmente para pacientes com dano articular extenso que a única opção cirúrgica seria uma artroplastia do quadril.

 

Os tratamentos não cirúrgicos comuns para a displasia do quadril nos adolescentes incluem:

 

Observação. Se o paciente tem sintomas mínimos e displasia leve, seu médico pode recomendar simplesmente monitorar a condição para se certificar de que não piora. O paciente terá visitas de acompanhamento a cada 6 a 12 meses para que o médico possa verificar qualquer progressão que possa justificar o tratamento.

 

Modificação do estilo de vida. O médico também pode recomendar que o paciente evite as atividades que causam dor e desconforto. Para uma criança com excesso de peso, uma consulta com especialista em nutrologia para emagrecimento saudável, também ajudará a reduzir a pressão sobre a articulação do quadril.

 

Fisioterapia. Exercícios específicos podem melhorar a amplitude de movimento no quadril e fortalecer os músculos que suportam a articulação. Isso pode aliviar o estresse no labrum ou na cartilagem lesada.

 

Medicamentos. Os anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e naproxeno, podem ajudar a aliviar a dor e reduzir o inchaço em uma articulação artrítica. Além disso, a cortisona é um agente anti-inflamatório que pode ser injetado diretamente em uma articulação. Embora uma injeção de cortisona possa proporcionar alívio da dor e reduzir a inflamação, os efeitos são temporários. Lembrando que só tome medicamentos após recomendação médica.

 

Tratamento cirúrgico

O médico pode recomendar cirurgia se o paciente estiver sofrendo com dor e tiver danos à sua cartilagem articular. O procedimento cirúrgico mais utilizado para tratar a displasia do quadril é uma osteotomia. “Osteotomia” significa literalmente “corte do osso”. Em uma osteotomia, o médico redimensiona e reorienta o acetábulo e / ou o fêmur para que as duas superfícies das articulações se encontrem em uma posição anatômica mais normal.

 

Existem diferentes tipos de osteotomias que podem ser realizadas para tratar a displasia do quadril. O procedimento específico recomendado pelo médico dependerá de uma série de fatores, incluindo:

 

  • A idade do paciente;
  • A gravidade da displasia;
  • A extensão do dano ao labrum;
  • Se a osteoartrite está presente;
  • O número de anos de crescimento restantes.

 

Na maioria dos casos, demora de 2-3 horas para realizá-la. Durante a cirurgia, o médico faz quatro cortes no osso pélvico ao redor da articulação do quadril para afrouxar o acetábulo. Ele ou ela então roda o acetábulo, reposicionando-o em uma posição anatômica mais normal sobre a cabeça femoral. O médico usará raios-x para direcionar os cortes ósseos e garantir que o acetábulo seja reposicionado corretamente. Uma vez que o osso é reposicionado, o médico insere vários parafusos pequenos para mantê-lo no lugar até que ele cure.

 

Artroscopia. O médico pode usar artroscopia de quadril para reparar um labrum lesionado. Durante a artroscopia, o médico insere uma pequena câmera, chamada artroscópio, na articulação. A câmera exibe imagens em uma tela de televisão e o médico usa essas imagens para saber onde utilizar instrumentos cirúrgicos em miniatura.

Complicações após a Cirurgia de Displasia do Quadril

divider pequeno

Tal como acontece com qualquer procedimento cirúrgico, existem riscos envolvidos com este. O médico irá discutir cada um dos riscos com você e tomará medidas específicas para ajudar a evitar possíveis complicações.

 

Embora os riscos sejam baixos, as complicações mais comuns incluem:

 

  • Infecção;
  • Coágulos de sangue;
  • Lesões de vasos sanguíneos e nervos;
  • Dor persistente do quadril;
  • Falha na cicatrização da osteotomia.

Recuperação após a Cirurgia de Displasia do Quadril

divider pequeno

O paciente permanecerá no hospital geralmente de 2 a 4 dias após a cirurgia. Durante este tempo, ele ou ela será monitorado e receberá medicação para dor.

 

Na maioria dos casos, o peso total não será permitido na perna operada entre 6 semanas a 3 meses enquanto os ossos se curar em sua nova posição. Durante este tempo, o paciente precisará usar muletas.

 

Cerca de 6 semanas após a cirurgia, o paciente terá que retornar ao médico. Os raios-X serão usados para que o médico veja o quão bem o paciente está. Durante sua consulta, o médico determinará quando é seguro colocar peso na perna e quando a fisioterapia pode começar. O fisioterapeuta mostrará os exercícios específicos para ajudar a manter a amplitude de movimento e restaurar a força e a flexibilidade na articulação do quadril.

Displasia do Quadril